sábado, 26 de fevereiro de 2011

Castelo de Arouce

Ou, Castelo da Lousã






Arquitectura militar, românica, gótica. De reduzidas dimensões apresenta o carácter típico das construções irregulares da época.

Descrição
Pequeno castelo com planta irregular aproximadamente hexagonal cercando um pequeno terreiro. É dominado a N. pela torre de menagem, adossada à muralha, de secção quadrangular com uma porta ogival a nível dos adarves apresentando seteiras para o lado oposto e mais duas no andar superior em cada uma das frentes. Termina em merlões chanfrados. A entrada do castelo está situada a SE. e é protegida por dois cubelos semi-cilíndricos. A SO. um outro cubelo mais alongado e a O. outros dois mais pequenos completam as estruturas defensivas, juntamente com os panos da muralha, rematados por merlões chanfrados, semelhantes aos da torre de menagem.

Enquadramento
Rural, sobre um morro escarpado na margem direita do rio Arouce, em frente da Ermida de Nossa Senhora da Piedade.

Época de Construção
Séc. XI / XIV

Cronologia
1080 - O Conde Sisnando Davides ocupou pacificamente a povoação;
1124 - Caído em poder dos mouros, foi reocupado e reparado por Dona Teresa; aqui vinha passar o Verão a rainha D. Mafalda com a sua corte;
1151 - foral por D. Afonso Henriques;
Séc. XII - Teve grande valor militar, devido à importância da sua posição, embargando as incursões dos mouros vindas do vale do Zêzere;
Séc. XIV - Construção da torre de menagem;
1513 - foral novo por D. Manuel;
1759 - Senhorio dos Duques de Aveiro até esta data quando passa à Coroa.

Materiais
Xisto silúrico da região e grês branco (porta da torre de menagem).

(fonte: IHRU)

2 comentários:

Antonio disse...

Olá Sigillum
Tenho um amigo que é neto de um templario da velha guarda e que me levou um dia a visitar o castelo.
no fundo do vale está uma fonte junto a um riacho onde se deita uma moeda e se faz um desejo.
É um sitio muito bonito.
Obrigado por me fazeres lembrar deles. Do sitio e do meu amigo que já não vejo há anos.
Vou continuar teu leitor atento.
Abraço.
Antonio Napolli.

Sigillum disse...

Olá António,
É sempre um prazer
Abraço